Floresta: um mundo de sonho e riqueza

Trees and forests are an integral part of the planning area.
La forêt est un élément durable de la structuration du territoire à composer quelques-uns des écosystèmes les plus riches en biodiversité et en intégrant le cycle de l'eau et de carbone.
Portugal se encuentra entre la más alta proporción de las áreas forestales y proporcional a la superficie en comparación con otros países europeos
 La politica forestale dovrebbero riconoscere le vere ragioni per cui è necessario garantire un livello di investimenti in riforestazione e gestione forestale

Aproveitando o belo que as florestas têm convido-vos a mais um safari fotogáfico, deixando-vos no fim com com uma música que vos pode servir de tema à visualização das fotografias; após uma curta meditação sobre a importância das árvores não só na economia, como no equilíbrio ecológico e na sua capacidade de despertar sentimentos a nós Homens, como o medo, o sonho, a tranquilidade, etc. As árvores e a floresta devem parte integrante do ordenamento território. A floresta é um elemento perene de estruturação do território compondo alguns dos ecossistemas mais biodiversos e integrando os ciclos da água e do carbono. Esta estrutura inclui todas as florestas cuja vocação é predominantemente produtiva. As árvores demoram tempo a crescer e ocupam o território durante largos períodos. Em múltiplas tradições, nomeadamente entre os Celtas, a floresta era um verdadeiro santuário em estado natural: na floresta de Brocéliande, na Bretanha, os sacerdotes (druidas) reuniam-se para as cerimónias rituais, à semelhança do que acontecia entre os Gregos, por exemplo, com a floresta de Dodona. Na Gália, aliás, os templos de pedra só foram construídos por influência romana, após a conquista. Existe, pois, uma estrita equivalência semântica, na época antiga, entre a floresta e o santuário. Aliás, a árvore, um dos grandes arquétipos da Vida, faz parte integrante de florestas, bosques e até selvas, e representa sempre, em todas as tradições e culturas, do ponto de vista simbólico, o intermediário, por excelência, entre os três níveis do cosmos: o nível subterrâneo – já que as suas raízes mergulham no mundo ctoniano; o mundo terreno – o tronco ergue-se, vertical, convivendo com os demais elementos da natureza; e o plano aéreo – a copa frondosa, com os seus ramos, rebentos, flores e frutos, ergue-se para o céu, numa prece contínua ao transcendente e ao divino, testemunhada por todos os povos.

Talvez seja por tudo isto que, em termos psicanalíticos, a floresta se encontra entre os grandes símbolos do inconsciente. Se pensarmos nos contos de fadas, lendas e mitos de muitas tradições, ou no folclore popular do mundo inteiro, veremos que neles abundam imagens de florestas que devem ser percorridas, atravessadas, e desvendadas nos seus caminhos labirínticos. É por isso que hoje vos convido a um pequeno passeios por entre uma pequena mancha verde de floresta deste pequeno país bem arredado na latitude da Europa, um momento para relaxar e ver o Outono a cair a despedir-se do Verão e a antever o Inverno.
Portugal proporcionalmente têm uma das maiores áreas de florestas proporcional e comparativamente à área de outros países Europeus, sendo o seu território ocupado por árvores autócnones e de múltiplas origens tendo o passado histórico grande peso nessa diversidade. A função estruturante do território e os benefícios ambientais no longo prazo são homólogos dos horizontes de investimento muito alargados e das baixas rendibilidades florestais. Pode dizer-se que a floresta gera benefícios que, em larga medida, se mantém externos à análise dos investimentos florestais. Porém, a introdução de algumas espécies como o eucalipto em busca do rendimento rápido veio adulterar a massa florestal e simultaneamente diminuir o equilibrio que o ecossistema exige, fazendo alguma aridez e pressupondo para os incêndios. A falta duma política florestal adequada tem posto a floresta em perigo.

Existe também um conjunto de factores que dificultam o investimento, multiplamente relacionados com as externalidades ambientais e sociais. Um factor chave do investimento florestal é a propriedade da terra. A grande fragmentação da propriedade dificulta o investimento porque as propriedades não têm dimensão adequada para serem geridas de forma rentável. Em muitos casos, a situação de registo e localização espacial das propriedades é precária. Outro factor chave é a maturidade e rendibilidade: horizontes de várias décadas e baixas rendibilidades geram o desinteresse dos investidores. Desde a primeira dinastia que o poder público reconhece os benefícios ambientais da floresta (D.Dinis pretendia, com o seu famoso pinhal, proteger terrenos agrícolas da invasão das areias litorais). O século XX não foi excepção uma vez que, mais ou menos explicitamente, os benefícios ambientais fazem parte da justificação do apoio público ao investimento. O problema do presente é que a participação pública no investimento não parece ser suficiente para o estimular. A política florestal deverá reconhecer as verdadeiras razões pelas quais é necessário garantir um nível de investimento na arborização e gestão florestal superior aos poucos e controversos milhares de hectares de arborização líquida anual de que hoje dispomos.
As medidas e o seu dispositivo de aplicação deverão utilizar e aumentar o a iniciativa existente (nos sectores público e privado), e a presença de todos os parceiros que são necessários à solução do problema:
  1. A iniciativa política de orientar os apoios ao investimento florestal para a detecção perspicaz e o apoio eficaz a iniciativas
  2. A iniciativa das autarquias locais porque o planeamento do território municipal, a estruturação da propriedade, a detecção de iniciativas ligadas ao desenvolvimento local e a necessidade de promover a boa gestão de uma parte significativa dos espaços florestais públicos e comunitários
  3. A iniciativa privada, criando novas soluções de investimento e de aproveitamento dos recursos florestais e aumentando a eficiência das actividades já existentes.
  4. A iniciativa de integração das políticas agrícola, de ambiente, de ordenamento do território e de conservação da natureza no âmbito florestal:
  5. A iniciativa dos técnicos e cientistas, nas áreas florestal, do ambiente, da economia e do direito
Imaginemos o nosso território daqui a cinquenta anos (os florestais têm o mau hábito de falar em períodos de cinquenta anos como se fosse depois de amanhã...). Imaginemos que se mantêm baixos níveis de investimento e gestão florestal, que os apoios de que temos vindo a usufruir diminuem, mais ou menos, dentro de poucos anos. Isto tenderá a baixar a qualidade da floresta como elemento estruturante do território e a agravar os efeitos negativos da ausência de gestão: menos produtividade e emprego, mais incêndios, menos fixação de carbono, menos biodiversidade. Estes efeitos serão particularmente sensíveis nas regiões onde a base produtiva esteja mais dependente da floresta e onde os impactes ambientais negativos afectem a vida e a actividade dos cidadãos de uma forma mais directa. As florestas são de facto uma mais valia, há que começar hoje e repensar o futuro, pois um país que prima os seus espaços verdes e dele consegue tirar proveitos duma forma equilibrada e ordenada acaba por ter aí não só um fonte de receita mas consequentemente uma fonte de beleza. Sabiamente o meu avô dizia que se as árvores dão fortuna só no futuro então conservem-nas e  plantem-nas já!
Pensem nisso








































4 comentários:

academico disse...

As fotos sao muito bonitas

academico disse...

As fotos sao muito bonitas!

cathoune disse...

COUCOU Antonio...
je trouve tes photos dans les bois très jolies... toutes ces couleurs de l'automne, les feuilles qui tombent et font des tapis, et puis il y a des gros rochers un peu partout...ça a l'air assez humide...Il y a d'ailleurs des champignons....
Nous aussi on trouve de par chez nous des cèpes, des girolles, ces champignons sont fameux... et puis nous sommes allés ramasser des châtaignes que nous faisons griller dans le foyer de la cheminée...sinon, on a aussi ramassé des brassées de houx, on va bientôt commencer à préparer Noël ...
j'ai regardé aussi ta vidéo - je te fais de gros bisous... Nous, ce week end, nous étions partis dans la famille faire la connaissance d'une petite nièce qui vient de naître... oN a passé de bons moments tous ensemble...
à bientôt bisous cathy

Angurboda disse...

mi piace la foresta!!!! ciao!!

Enviar um comentário

 
Home | Gallery | Tutorials | Freebies | About Us | Contact Us

Copyright © 2009 Devaneios de Vida |Designed by Templatemo |Converted to blogger by BloggerThemes.Net

Usage Rights

DesignBlog BloggerTheme comes under a Creative Commons License.This template is free of charge to create a personal blog.You can make changes to the templates to suit your needs.But You must keep the footer links Intact.