Alguém para Amar

I challenge anyone who wants to experience an unconditionally love to be in the company of these Basset-Hounds puppies: greedy for love and affection they give receive, see the photo below and ackwnoledge  their beauty and their look   sweet and tender.
Je défie quiconque qui veut avoir un amour qui ne cesse jamais d'une façon inconditionnelle et la compagnie de ces chiots, Basset Hound: avides d'amour et d'affection à donner, mais aussi pour recevoir, voir les photos ci-dessous et assurez-vous de leur beauté et son regard tendre et doux
Desafío a cualquiera que quiere experenciar un amor incodicional a estar  en la compañía de estos cachorros de Basset Hound-: ávidos de amor y cariño lo tienen para dar y tomar Mirad las fotos abajo y asegúrete de su belleza y su mirada tierna y dulce.
Sfido chiunque voglia essere un amore che non cessa mai di amare incondizionatamente e avere la compagnia di questi cuccioli Basset-Hound: avido di amore e affetto.

O mundo está cheio de queixas, basta ouvir ou ver as notícias actuais, cada vez mais pequeno vai criando fossos ente as pessoas. Pessoas que se dizem solitárias; que desejariam ser amadas. Que vivem em busca de alguém que as ame, que as compreenda. O desejo de amor está ligado ao desejo de expansão, à presença simultânea das semelhanças e diferenças. O sentimento de amor mais legítimo que podemos conceber parte sempre de uma permuta sem necessidade de submissão; de tolerância sem necessidade de omissão; de compartilhar sem necessidade de auto-abandono. Amar é somar, multiplicar e dividir, nunca subtrair. Cada vez mais o Homem torna-se intolerável ao Homem, como também, toda vez que olhar para dentro de si, não poderá deixar de experimentar o desgosto de ser o que é, de se achar aos próprios olhos imundo e disforme e, por conseguinte, de odiar a si mesmo. Esse sentimento pode conduzir a dois caminhos à solidão ou ao egocentrismo e consequente egoísmo. Um homem que odeia a si mesmo poderá, acaso, amar alguém? Todos nos queixamos de stress e usamos os fármacos como contrapartida para os nossos problemas existenciais e sem encontrarmos uma verdadeira solução defendemos o nosso estado civilizacional cada vez mais transfigurador da natureza, para podermos ter uns grãos de milho mais comerciais recorremos a todos os produtos químicos e alteramos o curso da natureza, esquecendo que ninguém é senhor deste planeta mas que ele é uma parte de todos nós que devemos aprender a preservar. A nossa boa relação com o ambiente: a sua configuração geofísica assim como a flora e a fauna são fulcrais para uma verdadeira qualidade de vida e não apenas a exaustão de recursos.

A natureza, que em muitas coisas é mais madrasta do que mãe, imprimiu nos homens uma fatal inclinação no sentido de cada qual não se contentar com o que tem, admirando e almejando o que não possui: daí o facto de todos os bens, todos os prazeres, todas as belezas da vida se corromper e se reduzirem a nada. Na sua busca pela perfeição, pelo equilíbrio a Natureza é exímia na criação dos contrastes, temos a Natureza que dá origem a uma sociedade "perfeita", harmónica, organizada e orientada para o bem comum do Todo mais do que a parte como no caso das abelhas e logo a sua versão "filha da puta", as vespas que apesar de semelhante em termos de estrutura social é a antítese das primeiras apresentando-se como a versão egoísta, preguiçosa, violenta e aguerrida que procura por meio de uma versão adulteradamente mais simples do modelo de sucesso das abelhas obter os mesmos benefícios. Como Homem devemos considerar-nos as abelhas ou as vespas? A nossa relação com os animais complementa a nossa história enquanto espécie, é quando tomamos uma atitude dominante que necessitámos de animais de companhia, talvez o cão tenha sido o que mais depressa adoptámos, pois o gato é consequência dos nossos despojos que trouxeram os ratos e por inerência os gatos acomodaram-se. A relação com o cão foi uma relação de acordo mútuo e não de exclusivo interesse, ele para lá de defender o nosso espaço a troco de comida ambos beneficiámos de companhia e nós passámos a ser para eles o líder da matilha e eles para nós o fiel amigo. Penso que nesta simbiose houve um equilíbrio em que o Homem teve a oportunidade de nunca mais se sentir só. O amor que nos une é um amor desinteressado mas muitas vezes a raça Humana não o sabe valorizar e respeitar.

Na minha vida sempre houve um cão com quem reparti momentos inesquecíveis de vida e, seria injusto da minha parte que não dissesse que eu fui sempre o beneficiado e com alguns deles obtive lições de vida. Recentemente a 24 de Abril, o casal de Basset-Hounds, Afonso e Matilde, deram-me o prazer de assistir ao momento mágico da vida que é nascimento, pois quando eu já pensava que não deixariam seguidores, presentearam-me com 4 filhos. Lindo ver o despertar do sentimento maternal da Matilde, deixando tudo para trás para cuidar dos seus filhotes (3 fêmeas e 1 macho), mesmo ainda tonta da anestesia (foi cesariana, por incompatibilidade pélvica), enchia-os de mimos e atenção, finalmente era mãe. O amor materno ou o amor de quem cria é um amor que o tempo dificilmente apaga e as raras excepções conhecidas servem para conformar a regra. Assim, nestes dias eu próprio tenho assistido a este espectáculo digno de ser visto e sentido. Mas, em circunstâncias que a vida impede termos junto de nós todos os que amamos e apesar da minha paixão por eles, tal como pai, ao filho quero-lhe abrir-lhes os horizontes do Mundo e que encontrem alguém para amar. Lanço assim o desafio para alguém que queira amar um ser que incondicionalmente nunca o deixará de amar e possa ter como companhia um destes cachorrinhos ávidos de amor e carinho para receber mas também para dar, vejam as fotos abaixo e certifiquem-se da sua beleza e do seu olhar terno e meigo embora ainda só com 1 mês de vida, tendo os pais e cachorros LOP, e sendo esta raça das mais dóceis e "humano dependentes" que há. Quem aceitar esse desafio fica o meu mail: enf.veiga@gmail.com, onde poderemos acordar a sua aquisição, acreditem que valerá a pena!

Pensem nisso

No dia do Parto

Primeira refeição

Os meninos


A mãe e a ninhada
O pai  preocupado com os gastos da sua prol

Os pais babados

 

8 comentários:

Drica disse...

O texto é lindo e os filhotes nem se fala!!! Parabéns a você e aos pais. Se eu morasse em Portugal seria a primeira da fila para adotar um desses pequenos e enche-lo de mimos.
Beijo a todos

ROSARINHA disse...

Jamais perdemos por amar....perdemos, sempre, por refrear o amor...
Passando apenas para lhe desejar uma linda semana,meu lindo!!
intemasvê!

academico disse...

Qué bonicos!!!

cathoune disse...

Coucou - l'ami portugais -
Je suis venue prendre un peu de tes nouvelles, et je vois que tu as une jolie famille, tu as eu des petits bébés .... Ils sont trop jolis ... Rien qu'à les regarder, on a envie de les adopter...
et c'est vrai que le chien est le plus fidèle compagnon de l'homme, mais c'est parce qu'il est fait pour vivre avec lui...
Moi - je suis "chat"... Mon chat s'appelle Chamalo et c'est mon bébé à moi...
J'ai vu que tu as laissé une adresse mail ?
je pense que c'est la tienne ? on peut donc te laisser des messages dessus ? si je t'écris en dehors du blog, tu me répondras ?
j'ai vu que tu avais pris une photo dans la piscine ! Il doit faire meilleur que chez nous, car nous, on ne se baigne pas encore...
ça va venir ... mais il y a encore quelques jours, il ne faisait pas chaud --- c'était les "saints de glace" - Tu connais "les saints de glace" - ça existe au portugal ??
Gros bisous cathoune

Angurboda disse...

che carini e dolci questi cagnolini!!!!! bellissimi!!!!!
Sono sempre felice che tu venga a salutarmi!!!
Grazie!!!! un bacio !!!ciao!!!!

marcia disse...

Ah que lindo!!! Na minha vida também sempre somei, dividi, multipliquei e troquei amores com esses seres tão especiais! Os tenho como parte da familia. são eles que me dão tanto e pedem muito pouco, atenção.
Parabens meu anjo, nada é mais autêntico e puro do que essa amizade entre o homem e um cão!
bju

Lullaby disse...

Terei, eu e a minha família, um enorme prazer em ficar com um destes maravilhosos exemplares! Sempre adorámos esta fantástica raça e, estes Basset-Hounds, estão deslumbrantes!
No seguimento do nosso contacto telefónico de hoje, deixo aqui corroborada toda a beleza com que os descreveu, e a certeza de que o contactarei em breve para ir ver o macho que reservei(ou fêmea se ainda nos apaixonarmos mais por alguma aquando da visita).
Cumprimentos,

Eurico Tomaz

Priscilla Müller disse...

Definitivamente, adoro o seu blog - que está lindo com este formato - e adoro também cachorros!
Que comovente sua postagem sobre seus cãezinhos.
Em breve, também terei filhotinhos aqui em casa, da raça daschund. Devem nascer até o final deste mês.
Abraço

Enviar um comentário

 
Home | Gallery | Tutorials | Freebies | About Us | Contact Us

Copyright © 2009 Devaneios de Vida |Designed by Templatemo |Converted to blogger by BloggerThemes.Net

Usage Rights

DesignBlog BloggerTheme comes under a Creative Commons License.This template is free of charge to create a personal blog.You can make changes to the templates to suit your needs.But You must keep the footer links Intact.